The Work of Byron Katie / O Trabalho de Byron Katie

 


Faça O Trabalho Helpline
Ligue e faça O Trabalho com nossos experientes facilitadores.

Ame a Realidade

Ame a Realidade

EVENTOS

De 6 a 15 de Março de 2018
A Escola para O Trabalho
Ojai – Califórnia

Veja na página Eventos para mais detalhes

DOWNLOADS

 


 
Nesta página:
O que é O Trabalho?
Como fazer O Trabalho?
Perguntas mais Freqüentes

Recursos
Suporte O Trabalho

O que é O Trabalho?

O Trabalho (The Work) é um simples, porém poderoso processo de investigação, que ensina você a identificar e questionar pensamentos que causam todo sofrimento no mundo. É uma maneira de entender o que machuca você e identificar seus problemas com clareza.

Pessoas que fazem O Trabalho como uma prática contínua, relatam resultados de mudança de vida.

  • Alívio para depressão: Encontre soluções e inclusive alegria em situações antes debilitantes.
  • Diminuição do estresse: Aprenda como viver com menos ansiedade ou medo.
  • Melhora nos relacionamentos: Experimente uma conexão mais profunda e íntima com seu/sua companheiro(a), pais, filhos, amigos e você mesmo(a).
  • Redução da raiva: Entenda o que faz você sentir raiva e mágoa e torne-se menos reativo(a), com menos freqüência e com menos intensidade.
  • Melhora da clareza mental: Viva e trabalhe de maneira mais inteligente e efetiva, com integridade.
  • Mais energia: Experimente uma nova sensação de permanente vigor e bem-estar.
  • Mais paz: Descubra como se tornar um(a) “amante do que é”.

voltar

Como fazer O Trabalho?

A maneira mais simples de fazer O Trabalho está descrita abaixo:

1

Julgue-o-Seu-Próximo

Por milhares de anos tem sido dito a nós para não julgarmos, mas nós continuamos fazendo isso todo o tempo, como nossos amigos deveriam agir, com quem nossos filhos deveriam se importar, como nossos pais deveriam se sentir, fazer ou dizer. Em O Trabalho, melhor do que suprimir esses julgamentos, nós os usamos como pontos de partida para auto-conscientização. Deixando a mente julgadora ter vida no papel, nós descobrimos através de um espelho das pessoas ao nosso redor, o que nós não tínhamos nos dado conta a respeito de nós mesmos.

Preencha o Formulário Julgue-o-Seu-Próximo. Você pode fazer o download aqui.


2

As Quatro Perguntas

Investigue cada uma das suas declarações do Formulário Julgue-o-Seu-Próximo, usando as quatro perguntas e a inversão abaixo. O Trabalho é meditação. É sobre conscientização e não sobre tentar mudar os seus pensamentos. Faça as perguntas, dê um tempo a você mesmo(a), faça uma interiorização, e espere as respostas mais profundas virem à tona. Use formulário azul abaixo como um guia de facilitação.

Na sua forma mais básica, O Trabalho consiste de quatro perguntas e a inversão. Por exemplo, o primeiro pensamento que você questiona no Formulário acima é “Paulo não me ouve.” Encontre alguém na sua vida que você tenha pensado isso e vamos fazer O Trabalho. “(Nome) não me ouve”:

Isso é verdade?

Você pode saber com absoluta certeza que isso é verdade?

Como você reage, o que acontece, quando você acredita neste pensamento?

Quem você seria sem este pensamento?

Então faça a inversão (do conceito que você está questionando), e não esqueça de encontrar três exemplos genuínos para cada inversão.


3

Faça a Inversão

Depois que você investigar a sua declaração com as quatro perguntas, você está pronto(a) para fazer a inversão (do conceito que você está questionando).

Cada inversão é uma oportunidade de experienciar o oposto da sua declaração original e ver o que você e a pessoa que você está julgando têm em comum.

A declaração pode ser invertida para o oposto, para o outro, e para você mesmo(a) (e às vezes, para “meu pensamento”, se for o caso). Encontre, no mínimo, três exemplos genuínos na sua vida, onde cada inversão é verdadeira.

Por exemplo, “Paulo não me compreende” pode ser invertido para “Paulo me compreende”. Outra inversão é “Eu não compreendo o Paulo”. Uma terceira inversão é “Eu não compreendo a mim mesmo(a)”.

Seja criativo(a) nas inversões. Elas são revelações, mostrando para você aspectos antes não vistos de você mesmo(a) refletidos de volta através dos outros. Uma vez que você tenha encontrado uma inversão, vá para dentro de você e permita a você mesmo(a) senti-la. Encontre, no mínimo, três exemplos genuínos onde essa inversão é verdadeira ou mais verdadeira na sua vida.

Quando eu comecei a vivenciar minhas inversões, eu percebi que eu era tudo o que eu chamava você. Eu era simplesmente uma projeção. Agora, ao invés de tentar mudar o mundo ao meu redor (isso não funcionou, mas só por 43 anos), eu pude colocar meus pensamentos no papel, investigá-los, invertê-los e descobrir que eu era cada coisa que eu pensava que você era. No momento em que eu vejo você egoísta, eu sou egoísta (decidindo como você deveria ser) No momento em que eu vejo você como grosseiro(a), eu estou sendo grosseiro(a). Se eu acredito que você deveria parar de criar guerra, eu estou criando guerra com você na minha mente.

As inversões são a sua receita de felicidade. Viva o tratamento que você tem indicado para os outros. O mundo está esperando por só uma pessoa viver isso. Você é esta pessoa.

Exemplos de Inversões

Aqui, mais alguns exemplos de inversões:

“Ele deveria me compreender” invertido para:
- Ele não deveria me compreender. (Essa é a realidade)
- Eu deveria compreendê-lo.
- Eu deveria compreender a mim mesmo(a).

“Eu preciso que ele seja gentil comigo” invertido para:
- Eu não preciso que ele seja gentil comigo.
- Eu preciso que eu seja gentil com ele. (Eu posso fazer isso?)
- Eu preciso que eu seja gentil comigo mesmo(a).

“Ele não me trata com amor” invertido para:
- Ele me trata com amor. (No melhor da sua capacidade)
- Eu não o trato com amor. (Posso ver isso?)
- Eu não me trato com amor. (Quando não peço)

“Paulo não deveria gritar comigo” invertido para:
- Paulo deveria gritar comigo. (Obviamente: na realidade, às vezes ele grita. Eu estou ouvindo?)
- Eu não deveria gritar com o Paulo.
- Eu não deveria gritar comigo mesmo(a). (Na minha cabeça, estou repetindo sempre os gritos do Paulo? Quem está fazendo mais mal a mim mesmo(a)? Paulo que gritou uma vez ou eu repetindo isso 100 vezes?)

Abraçando a Realidade

Depois de inverter seus julgamentos nas suas respostas às perguntas de número 1 até 5 no Formulário (perguntando se são verdadeiros ou mais verdadeiros), inverta a número 6 usando “Eu quero que...” e “Eu não vejo a hora de...”

Por exemplo, “Eu não quero mais discutir com o Paulo”, invertido fica “Eu quero discutir com o Paulo” e “Não vejo a hora de discutir com o Paulo”. E por que e não veria a hora de discutir com o Paulo?

A pergunta número 6 e sobre abraçar totalmente a mente e a vida sem medo e estar aberto(a) à realidade. Se você experimentar uma discussão com o Paulo novamente, ótimo. Se isso machuca, você pode colocar seus pensamentos no papel e investigá-los. Sentimentos desconfortáveis são, simplesmente, lembretes de que estamos apegados a alguma coisa que pode não ser verdade para nós. Eles nos mostram que está na hora de fazer O Trabalho.

Enquanto você não vê o inimigo como amigo, seu Trabalho não está feito. Isso não significa que você tem que convidá-lo(a) para jantar. Amizade é uma experiência interna. Pode ser que você nunca mais o(a) veja, talvez até você se divorcie dele(a), mas quando você pensa sobre ele(a), seu sentimento é de estresse ou paz?

Na minha experiência, só é necessária uma pessoa para um relacionamento ter sucesso. Eu gosto de dizer que tenho um casamento perfeito, e que eu não posso realmente dizer que tipo de casamento meu marido tem (ainda que ele me diga que é feliz também).

voltar

Perguntas mais Freqüentes

É muito difícil para eu escrever sobre os outros. Eu sei que o problema sou eu. Por que não posso escrever sobre mim?
Se você quer conhecer a você mesmo(a), escreva sobre outra pessoa. No início aponte O Trabalho para outra pessoa e você poderá ver que tudo ao seu redor é um reflexo do seu pensamento. É só sobre você. A maioria de nós temos apontado nossas críticas e julgamentos para nós mesmos(as) por anos e isso não tem resolvido nada. Quando você julga outra pessoa, investigue e inverta o conceito que você está questionando. Este é o caminho mais rápido para o entendimento e a auto-conscientização.

É extremamente difícil julgarmos a nós mesmos(as). Alguns de nós temos uma identidade muito sedimentada; nossas idéias sobre nós mesmos(as) (como deveríamos aparentar, como deveríamos nos sentir, o que deveríamos ou não estar fazendo) são tão fortes que pode acontecer de não sermos capazes de responder as quatro perguntas honestamente. Se você é novo em O Trabalho e sente que tem que julgar você mesmo(a), por favor ligue no “hotline” e peça para que um facilitador certificado ajude você com o Formulário ou procure saber como encontrar alguém para ajudá-lo(a).

Eu tenho que escrever? Não posso, simplesmente, fazer as perguntas e a inversão na minha mente quando eu tenho um problema?
O trabalho da mente é estar certa, e a mente pode se auto justificar mais rápido do que a velocidade da luz. Pare a parte do seu pensamento que é a fonte do seu medo, raiva, tristeza ou ressentimento, transferindo isso para o papel. Uma vez que a mente é colocada no papel, é muito mais fácil investigar. Eventualmente, O Trabalho começa automaticamente sem você escrever.

E se eu não tiver problemas com pessoas? Posso escrever sobre outras coisas, como meu corpo, por exemplo?
Sim. Faça O Trabalho sobre qualquer assunto que seja estressante. Quando você se tornar familiar com as quatro perguntas e a inversão, você poderá escolher assuntos como corpo, doenças, carreira ou até mesmo Deus. Então, simplesmente, use o termo “meu pensamento” no lugar do assunto quando você fizer a inversão.

Exemplo: “Meu corpo deveria ser forte, saudável e flexível” se torna “Meu pensamento deveria ser forte, saudável e flexível”.

Não é isso que você realmente quer? Uma mente equilibrada e saudável? É um corpo doente ou seu pensamento sobre seu corpo a causa do problema? Investigue. Deixe seu médico cuidar do seu corpo da maneira como você cuida do seu pensamento. Eu tenho um amigo que não pode mover o corpo, e está amando a vida. Liberdade não exige um corpo saudável. Liberte sua mente.

Eu tenho ouvido você falar que você é uma amante da realidade. E sobre guerras, estupros e outras coisas terríveis que acontecem no mundo? Você concorda com isso?
Muito pelo contrário. Eu percebi que se eu acredito que essas coisas não deveriam existir quando elas existem, eu sofro. Eu posso terminar a guerra justamente em mim? Posso parar de estuprar a mim mesmo e outros com meus pensamentos e atitudes abusivas? Se não, eu estou continuando através de mim, exatamente as mesmas coisas que eu quero que acabem no mundo. Eu começo acabando com meu próprio sofrimento, minha própria guerra. Esse é o trabalho da vida.

Então, o que você está dizendo é eu que deveria aceitar a realidade como ela é e não brigar contra isso. Certo?
O Trabalho não diz o que uma pessoa deveria ou não deveria fazer. Nós simplesmente perguntamos: Qual é o efeito de brigar com a realidade? Como você se sente? Este Trabalho explore a causa e o efeito de se apegar a pensamentos que causam dor, e nessa investigação nós encontramos nossa liberdade. Simplesmente dizer que não deveríamos brigar com a realidade é só adicionar mais uma história, outra filosofia ou religião. Isso nunca funcionou.

Eu não acredito em Deus. Posso, ainda assim, me beneficiar do Trabalho?
Sim. Ateístas, Agnósticos, Cristãos, Judeus. Muçulmanos, Budistas, Hinduístas, Pagãos, todos nós temos algo em comum: Nós queremos felicidade e paz. Se você está cansado de sofrer, eu te convido a fazer O Trabalho.

Existe uma maneira de eu ir mais a fundo em O Trabalho?
Freqüentemente eu digo, se você realmente quer ser livre, tenha O Trabalho como café-da-manhã. Como almoço. Como jantar. Quanto mais você fizer a investigação, mais isso “desfaz” você. Algumas pessoas preferem fazer O Trabalho como parte de um programa organizado, então, eu ofereço a Escola para O Trabalho, uma intensa jornada de mudança de vida através da sua própria mente, com uma continuidade de pós-trabalho e um extraordinário sistema de suporte.

Intelectualmente eu entendo o processo de investigação, mas eu não sinto nada mudando quando faço isso. O que está faltando?
Se você responde as perguntas superficialmente com a mente pensante, o processo vai deixar você sentindo-se desconectado(a). Tente novamente fazendo as perguntas e indo ainda mais fundo. Talvez você tenha que fazer as perguntas repetidamente para se manter focado(a), mas quando você pratica, a resposta virá à tona. Quando a resposta vem de dentro de você, a conscientização (e as mudanças) acontecerá naturalmente.

Eu tenho usado as inversões sempre que faço julgamentos, mas isso não está fazendo nada a não ser me deixar deprimido(a) e confuso(a). O que está acontecendo?
Simplesmente fazer as inversões de pensamento, mantém o processo em nível intelectual e isso tem pouco valor. O convite é ir além do intelecto. As perguntas são como sondagens que ajudam você a mergulhar dentro da sua mente e trazer conhecimentos profundos à tona. Faça as perguntas primeiro e espere. Uma vez que as respostas venham à tona, então faça as inversões. A mente superficial e a mente profunda (que eu chamo de coração) se encontram e as inversões se tornam verdadeiras descobertas.

Sempre há uma inversão? E se eu estiver com dificuldade de encontrar uma?
Inverta sua afirmação para o contrário, para você mesmo(a) e para outro(a) . Às vezes, você vai achar mais inversões, às vezes menos. Quando você está lidando com um assunto, como corpo físico, inverta para o oposto e também para “meus pensamentos” ou “minha maneira de pensar”—por exemplo: “Meu corpo não é saudável”, pode ser invertido para “Minha maneira de pensar não é saudável” . E para todas as inversões, encontre exemplos (no mínimo três quando for possível), onde a inversão é verdadeira ou mais verdadeira.

O Trabalho não funciona para mim. Por que não?
No momento que você para de responder as perguntas genuinamente e começa a se justificar, se defender a declaração que você está investigando, O Trabalho não funciona. Naquele momento você está usando fracassado método que as pessoas vêm usando desde o início do mundo. Quando você começa a justificar ou defender sua posição ou vai para a sua história, simplesmente perceba o que você está fazendo, então, retorne para a investigação novamente. A guerra da mente com ela mesma é a maneira antiga. Se você não pode parar a guerra interior, você não pode parar a guerra exterior. Seja bem vindo a um novo caminho. Seja bem vindo à paz.

Eu tenho tentado encontrar um(a) Terapeuta na área em que moro e que tenha filosofia similar à Byron Katie. Como posso encontrar alguém?
Por favor, vá no website thework.com, clic em Facilitadores e procure por um(a) facilitador(a) certificado(a) na sua área. Alguns facilitadores são terapeutas, psiquiatras, psicólogos(as) e outros profissionais da saúde, e todos são excelentes facilitadores(as) para O Trabalho e foram treinados por Byron Katie pessoalmente. Esses profissionais estão disponíveis por telefone, e-mail, Skype e também para sessões particulares. Nós do BKI estamos a sua disposição. Se você tem algo a dizer sobre os facilitadores, por favor, mande para nós suas recomendações, reclamações e/ou experiência para certification@thework.com. Sua liberdade, saúde e felicidade é o nosso interesse.

voltar

Recursos

Uma lista de recursos relacionados ao Trabalho está disponível aquí.

voltar

 

   

Pensamentos
Pensamentos

Ser Gay Não é Natural—Isso é Verdade?
Gay

Câncer
Câncer

julgue-seu-proximo
Julgue-Seu-Próximo

prisao
Prisão

Relacionamentos
Relacionamentos

Gargalhadas
Gargalhadas

A Escola
A Escola


-------

“Uma inovadora espiritual para o novo milênio”.

TIME magazine

-------

“O firme amor de Katie, como um raio laser, consome todas as ilusões”.

The Times of London

-------

“O Trabalho de Byron Katie é uma grande benção para o nosso planeta. A raiz do nosso sofrimento é que nos identificamos com nossos pensamentos e nossa mente fica continuamente ocupada com as “histórias” que criamos. O Trabalho age como uma espada afiada que rasga essa ilusão e te permite conhecer por si mesmo(a) a essência infinita do seu ser. Alegria, paz e amor emanam como seu estado natural”.

Eckhart Tolle
autor de O Poder do Agora

-------

“Byron Katie é uma das mais importantes e inspiradoras mestras do nosso tempo”. Pessoalmente, ela tem me ajudado muitíssimo. Eu amo essa sábia mulher“.

Dr. Wayne W. Dyer
autor de A Força da Intenção

-------

“Os ensinamentos e o dia-a-dia de Byron Katie são pura sabedoria. O Trabalho de Byron Katie nos mostra um caminho de paz interior e ela nos guia com valentia, tenacidade e imensa generosidade. Em raras vezes visto em uma pessoa – mestres espirituais incluídos – encarnar a sabedoria de forma tão poderosa, como faz Katie, ao abraçar cada momento com tanto entusiasmo”.

Roshi Bernie Glassman

-------

“O Trabalho de Byron Katie uma maravilhosa prática transformadora para qualquer pessoa que esteja interessada em crescimento espiritual”.

Lama Surya Das
autor de O Despertar do Buda Interior

-------

“Santo Deus! De onde saiu Byron Katie? Ela é real. O Trabalho de Byron Katie é assombrosamente eficiente – um simples e efetivo antídoto para o sofrimento que criamos para nós mesmos. Ela não nos pede para acreditar em nada, mas nos oferece uma maneira surpreendentemente eficaz e efetiva de abrirmos caminho no emaranhado de enganos que nos envolvemos”.

David Chadwick
autor de Crooked Cucumber: The Life and Zen Teaching of Shunryu Suzuki

-------

“Imagine que pudesse encontrar um caminho simples para viver a sua vida com alegria, deixar de brigar com a realidade e alcançar a serenidade em meio ao caos. È isso que Amando o que é (Loving What Is) oferece. Nada mais, nada menos que uma maneira revolucionária de viver sua vida. A questão é: você é valente o bastante para aceitá-la?”

Erica Jong

autora de Medo de Voar

-------


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

     

thework.com         Declaração de legalidade e privacidade
© 2017 Byron Katie International, Inc. All rights reserved.